O conformista, o tecnico e o empreendedor

Possuímos três características marcantes, tão forte que são como três personalidades distintas, três pessoas dentro de uma só. E quando uma aparece as outras se escondem e é difícil traze-las de volta.
A primeira e também mais forte, que fica dominante a maior parte do tempo, é a CONFORMISTA, é ela que faz com que tenhamos medo do que não conhecemos, do novo, de nos arriscar. É ela quem diz que a coisa podia ser pior, que o vazio que sentimos poderia doer mais. É ela quem diz: “Este emprego é uma merda, mais é o único que tenho”.
O conformista tem medo de mudanças, mas é experiente, tranquilo e seguro no que faz, afinal ele sabe aquilo de cor e salteado. Ele pode até achar que não está bom, mas fará de tudo para não mudarem aquilo, é a rotina que o faz bom no que faz, ele deseja a rotina.
Temos também o TÉCNICO, a parte de nós que realmente sabe o que faz, é a que detém o conhecimento, não só para fazer como para melhorar o que tem que ser feito, afinal, o técnico entende tanto do processo “fazer” que simplesmente fazer fica fácil demais, então ele analisa todo o processo e encontra sempre forma do fazer ficar mais fácil. Ele também é o injuriado, aquele que sempre se pergunta: “Se é tão fácil fazer assim porque eles fazem deste jeito?”. Vivi inconformado com a empresa que mantém aquele processo antigo, ou seja, que mantém o processo de antes dele reinventar tal processo, e se irrita com as pessoas que não fazem do jeito certo, ou melhor, do seu jeito certo.

E bem escondido, lá no fundo, temos o EMPREENDEDOR, este sujeito que causa estranheza quando o vemos através dos outros, mas que quando em nos, sentimos uma enorme satisfação. Ele é o sonhador, aquele que sempre acha que tudo vai dar certo, que basta ter coragem para por as idéias em pratica que logo ficará rico. Ele é empolgado, vibrante, faz tudo com muita motivação, até aquilo que ele não deveria fazer.
Mas o empreendedor é também aquele que mais se decepciona, aquele que mais experimenta a sensação do ” estava indo bem e derrepente tudo acabou”. Ele é quem mais fica cansado de tudo, que mais se sente fracassado.
Qual deles você é? Qual gostaria de ser? E, porque ainda não é?
A grande questão é, todo os três nos dão boas sensações e sensações ruins, mas inevitavelmente, os três estão ali, escondidos em nossos corações, as vezes, um aparece e dura pouco tempo e da lugar ao outro, as vezes ficam por tanto tempo que nos perguntamos se os outros dois ainda estão aqui. Mas estão, e se você pretende se tornar um empresário, é bom encontra-los e acorda-los.
Entre funcionários e patrões, temos pessoas que permitem que um dos três prevaleça, mas entre os que tem sucesso, seja ele quem for, todos convivem com os três em harmonia. Para se ter sucesso é vital acordar o conformista, o técnico e o empreendedor e faze-los trabalharem juntos. Cada um tem seu momento e é colocando eles em seus momentos ideais é que se obterá o sucesso.
O patrão, tem que entender que uma empresa vive de uma rotina diária, ele tem que saber se conforma com as coisas não serem como ele espera. Ele tem que conhecer muito bem de todos os processos que mantém sua empresa e sempre buscar inovações e melhorias para seus processos. O patrão, tem que sonhar, sonhar com a empresa crescendo, com o caminho que se deve seguir, e também tem que se decepcionar, isso faz parte do aprendizado. Mas se decepcionar não significa se abater e deixar de caminhar, afinal, ainda se tem a rotina a ser cumprida.

 

Ps. A imagem do Visão em Avengers: Age of Ultron não tem nada a ver com o post, este é um post escrito originalmente no blog “Eu, Patrão!” em meados de 2006. Mas o filme é legal e vale a pena assistir. 😉

Deixe seu comentário: